domingo, 4 de junho de 2017

"e a tradição ainda é o que era..."

E à terceira edição do palco Mini NOS esta Festa da Criança já começa a ser uma tradição para os pais, ah e para os filhos. Este ano o local escolhido pela organização foi o Palácio de Cristal e por lá é possível, até ao final do dia de hoje, proporcionar aos mais novos uma série de divertidas actividades. Para além de poderem assistir a espectáculos musicais, na lindíssima Concha Acústica dos jardins, os mais novos podem participar em jogos tradicionais, em sessões de marcenaria, montar um dos cavalos, pertencentes à GNR e que estão em exibição juntamente com outros agentes de segurança pública, entre outras instrutivas experiências. Curiosamente, apesar de todos os louváveis esforços da organização para agradar aos mais novos, o que parece estar a ser o grande sucesso do evento é a peça de instalação temporária GIRA, que já estaria em exibição nos jardins do Palácio de Cristal. Esta obra, de Miguel Costa e Meireles de Pinho, é concebida com martelos de S. João e tem uma forma esférica que, com a interacção do público no mecanismo rotativo, ganha movimento e assim pretende representar o corrupio na grande festa da cidade do Porto




O forte e incessante vento parece estar a tornar-se inseparável da cidade do Porto. Mesmo para quem está habituado às nortadas, como é o caso dos portuenses, esta ventania, sem direcção certa e de rajadas fortes, já começa a incomodar e a verdade é que isto tem sido recorrente nos últimos anos. Apesar desta contrariedade, foram muitos aqueles que aproveitaram o evento Mini NOS para fazerem um piquenique e assim aproveitarem, ao máximo, os jardins do Palácio de Cristal. Não é todos os dias que se pode almoçar com a companhia de um dos mais belos animais existentes à face da terra, o pavão, por isso toca a estender a toalha e a apreciar o gracioso desfile. Tendo em conta que há quem não resista a partilhar as iguarias, não será exagero escrever que até os pavões conhecem a qualidade dos pasteis de chaves e lanches da Padaria Ribeiro. Desde 1878 que esta marca é uma referência na padaria e pastelaria portuense e a sua principal loja fica relativamente perto da zona do Palácio, por isso, não há desculpas, ainda há tempo para o merendeiro. Uma geleira Coca-Cola, antiga e de colecção pode não ficar muito barata, mesmo sendo adquirida no mercado de usados, mas, utilizando-a nestas ocasiões, rapidamente fica paga, pois podem-se levar de casa as bebidas e, com este método simples, evita-se pagar balúrdios por uma bebida fresca. Pelo caminho ainda se podem ouvir alguns elogios à peça e em estrangeiro, o que tem a sua piada como extra: Fancy! Cool! Awesome!




As batatas fritas Pála-Pála acompanham as refeições dos portugueses desde 1972, mas, desde então e por terem passado para as mãos de um grande grupo económico, a PepsiCo, já tiveram algumas fases em que desapareceram do mercado. A razão terá sido a gestão da marca e do produto, mas o grupo denuncia estar atento a esta nova vaga de oportunidades para o que é referência nacional, por isso relançou, em força, as Pála-Pála. Piquenique que é piquenique tem de ter: "Benfeitinhas e Lourinhas do sabor nem se fala todos os dias à vossa mesa somos as batatas fritas pála-pála". "Uma Tara de Sabor", podemos confirmar...

Sem comentários:

Enviar um comentário